Skip to main content

Sobras da produção de óleos essenciais podem ser aliadas da saúde humana

Celina Braciak Zancanaro na Floresce Alquimias

Conheça uma produção sustentável de óleos essenciais e hidrolatos que foi indicada à Premiação Planet of Plenty.

A administradora gaúcha Celina Braciak Zancanaro resolveu abandonar a vida corporativa para adotar um estilo conectado com a natureza. Primeiramente, fez as malas para o sítio que pertencia ao seu avô. Lá começou a plantar mudas resgatadas na rua como forma de sua subsistência e a utilizar as plantas para o tratamento dos cabelos. Depois de um tempo, já tinha mais de 150 espécies de plantas na propriedade, que tem em torno de 1.500 metros. Em seguida, como uma forma de impactar cada vez menos o meio ambiente, surgiu a ideia de construir uma casa ecológica, onde tudo seria renovável e reutilizável, inclusive os efluentes. Mas como manter uma casa sustentável utilizando sabonetes, cremes dentais e shampoos fabricados de maneira convencional? Celina começou a mergulhar no universo dos produtos naturais de higiene pessoal, até se deparar com o curso de espagiria, processo fitoterápico que envolve fermentações, destilações e extrações de componentes minerais de madeiras e plantas, onde aprendeu a preparar óleos essenciais e hidrolatos – parte líquida que sobra após o processo de extração do óleo essencial e que não costuma ser aproveitada pelas indústrias de cosméticos. Foi aí que a Floresce Alquimias começou a dar seus primeiros passos em 2017 na cidade de Estação, norte gaúcho.

Hidrolato sustentável

No momento em que o óleo essencial é extraído, sobra um líquido que ainda mantem cerca de 4 a 10% do componente aromático da planta. Muito prazer, este é o hidrolato, o qual Celina também passou a comercializar. “Ainda que apresente um prazo de validade menor que os óleos essenciais, os hidrolatos oferecem grande leque de utilidades tanto para a saúde humana, quanto para a casa, os animais e as plantas’, explica Celina. No sítio de Celina até o capim do campo, conhecido popularmente como vassourinha, vira hidrolato. “Essa é uma planta que ninguém quer saber dela, todo mundo corta fora porque ela toma conta. Porém, ela é considerada um própolis verde, porque as abelhas recolhem a essência dela para proteger a colmeia contra o ataque de fungos e bactérias. Muitas pessoas ingerem uma colher de sopa desse hidrolato para tosse seca, inflamações pulmonares e é um poderoso regenerador da pele”, afirma. 

Em termos de quantidade, são extraídos óleos essenciais e hidrolatos de cerca de 16 espécies de plantas do sítio. De cada uma das espécies, é possível captar cerca de meio litro de óleos essenciais em cada safra e até 200 litros de hidrolato. “Se as pessoas conhecerem mais o hidrolato, irão utilizar os recursos do planeta de maneira mais consciente, com menos desperdício, porque nem sempre é necessário utilizar o óleo essencial”, complementa.

O negócio

O processo de fabricação, que é artesanal, começa na seleção e colheita da planta no momento adequado para a extração dos óleos essenciais e hidrolatos. Essas plantas são destinadas à destilação, onde são aquecidas com água em uma pequena caldeira para desprender a essência. Em seguida, o vapor passa por uma serpentina com água refrigerada, onde é separado o óleo e água. O processo completo leva cerca de 2 dias, por ser artesanal. “Eu acredito que a maneira como a gente planta, mantendo a diversidade de plantio, estimula as pessoas a regenerarem as florestas e desperta seus corações sobre o cuidado com qualquer tipo de planta, porque todas elas têm essências que podem fazer o bem.”

Zero desperdício

Para evitar ainda mais o desperdício de materiais, os produtos da Floresce Alquimias são envasados em embalagens renováveis, permitindo que os compradores possam ganhar descontos ao devolver as embalagens vazias.

Onde encontrar

Os produtos da Floresce Alquimias são comercializados em lojas colaborativas, feiras, lojas sustentáveis e pela internet. Saiba mais em: www.florescealquimias.com.br e no Instagram: @florescealquimias


Dúvidas ou comentários? Entre em contato conosco: