Skip to main content

Qualidade em alta

[node:title]

Foto: Shutterstock | CG__Photography

Soluções à base de aminoácidos auxiliam produtores de tomate industrial

Algumas características são essenciais para que o tomate industrial consiga bons índices de rendimento ao produtor e à indústria, entre elas, o teor de °Brix (popularmente conhecido como o índice que mede a quantidade de açúcar nos frutos), a resistência da casca e principalmente a espessura da polpa.

"Caso haja algum problema nutricional, esse desenvolvimento de cor não será uniforme." (Clarice Aparecida Megger)

Mas para o agricultor atingir essa qualidade, é importante vencer alguns desafios no processo, sendo necessários cuidados durante todas as fases do ciclo da planta para conseguir o melhor desenvolvimento dos frutos. Além do manejo, a utilização de soluções à base de aminoácidos têm se mostrado uma importante aliada, impactando em melhor rentabilidade na comercialização desses produtos.

"Os nutrientes potássio, boro e molibdênio combinados com aminoácidos específicos promovem estímulos para um maior transporte final dos fotoassimilados para o dreno." (Marcos Revoredo)

Na visão da professora de fisiologia vegetal e coordenadora do mestrado em olericultura no Instituto Federal Goiano (IFG), Clarice Aparecida Megger, os produtores devem ficar atentos na distribuição de carboidratos dentro da planta, uma vez que esse processo é fundamental para que o tomate se desenvolva da melhor forma até o final do processo. “A fotossíntese gera carboidrato e esse composto tem que chegar até o fruto, levando a um produto de melhor qualidade à indústria. Caso esse processo não tenha seguimento, gera redução no °Brix, que é como a indústria remunera o produtor”, afirma.

Outro problema comum no tomate industrial é a mudança da cor nas polpas. O consumidor busca produtos que tenham a tonalidade vermelha, por isso qualquer variação nesse aspecto causa prejuízo aos produtores. “Caso haja algum problema nutricional, esse desenvolvimento de cor não é uniforme, podendo apresentar uma tonalidade mais alaranjada. E depois do fruto colhido, a indústria não consegue colocar um aditivo que melhore esse aspecto no produto”, complementa Megger.

Nutrientes essenciais: Potássio, Boro e Molibdênio

Para que o produtor evite esses problemas nutricionais em sua lavoura de tomate, a complementação nutricional às plantas é fundamental. O engenheiro agrônomo Marcos Revoredo, gerente técnico especializado em hortifrúti da Alltech Crop Science, destaca que a combinação entre potássio, boro e molibdênio auxiliam no melhor desenvolvimento do fruto e no cumprimento das exigências da indústria. 

“O molibdênio participa na formação de enzimas responsáveis pela captação do gás carbônico, essencial para a fotossíntese. O potássio, quando em equilíbrio nas plantas de tomate, promove um maior estímulo à fotossíntese, além de ser fundamental no transporte de fotoassimilados, que irão contribuir para melhor formação dos frutos, polpa mais espessa e coloração mais avermelhada. O boro, além de participar da formação dos frutos, também atua na conversão e transporte de açúcares”, explica.

Dicas para melhor rendimento na polpa:

Caixa_Tomate.jpg

  1. Aplicação de produtos à base de potássio, boro e molibdênio e aminoácidos específicos durante a formação dos frutos;
  2. Adição de quantidades equilibradas de nutrientes durante todas as fases de desenvolvimento das plantas;
  3. Atenção com a análise e fertilização do solo;
  4. Produtos recomendados à cultura: Honey e Bulk.

Deseja conferir outras reportagens especiais sobre o cultivo de hortifrúti? Preencha o formulário abaixo para fazer download da 10ª Edição da Revista Em Folha