Skip to main content

Metais pesados e a nutrição animal

Metais pesados e a nutrição animal

Com o aumento mundial da diversidade de suprimentos alimentares para a nutrição animal, problemas com a segurança alimentar aumentaram proporcionalmente. Da mesma forma, a conscientização da população a respeito da segurança alimentar e a implementação de alertas de segurança alimentar orientados pelo governo e pela indústria também aumentaram.

A salvaguarda da qualidade dos ingredientes na alimentação animal é essencial para garantir a segurança alimentar. Nos últimos anos, a contaminação frequente de suplementos minerais com metais pesados, dioxinas ou bifenilos policlorados (PCB’s) tem sido problemática em todo o mundo. Em resposta a incidentes de contaminação, alguns governos como por exemplo a União Europeia, adotaram medidas de alerta para detecção de metais pesados em microminerais e assim garantir a segurança alimentar na cadeia, incluindo a rastreabilidade do campo ao garfo.

O cádmio, arsênico e chumbo são metais pesados que podem ser transferidos para os humanos por meio de produtos de origem animal contaminados, por este motivo a importância de fornecermos alimentos seguros para os animais durante a produção.

Alguns casos de contaminação por metais pesados geraram preocupação na população e alertas, como por exemplo em 2004, quando sulfatos de zinco originários da China contendo altos níveis de cádmio foram incorporados nas rações para animais em 1500 fazendas ao redor da França e da Bélgica. Neste mesmo ano, outro caso preocupante ocorreu na Noruega, onde similarmente, o sulfato de zinco contendo cádmio, foi incorporado na dieta dos animais resultando em um produto final - carne de ovinos e bovinos e salmões - também contaminado. Da mesma forma, os níveis de cádmio elevados na África do Sul em 2007 ocasionaram a produção de ovos inférteis (Johns, 2007).

Dioxinas e PCBs são minerais contaminantes, que assim como os metais pesados, podem interferir na saúde humana. As dioxinas formam um grupo de 210 policlorados compostos aromáticos, 17 dos quais são de natureza toxicológica.  As dioxinas são especialmente problemáticas porque são muito solúveis em gordura e tem meia-vida muito longa; assim eles podem potencialmente se acumular nos tecidos adiposos dos animais.

Incidentes recentes de contaminação por dioxina na cadeia alimentar tiveram efeitos significativos na indústria de alimentos para animais. Em 1999, a crise alimentar na Bélgica foi causada por uma contaminação de dioxina presente em alimentos para animais, o que levou à proibição da comercialização dos produtos cárneos e ovos produzidos na Bélgica para mais de 30 países. Da mesma forma, em dezembro de 2008, a contaminação por dioxinas na carne suína na Irlanda levou a retirada completa de produtos à base desta proteína. A carne contaminada foi enviada para mais de 20 países. Este fato acarretou em um colapso na indústria irlandesa gerando a perda de 1.400 vagas de emprego. Mais tarde, em dezembro, o abate de todos os animais em 21 fazendas de bovinos de corte na Irlanda foi ordenado quando os níveis de dioxina encontrados foram 100 a 400 vezes acima dos níveis considerados legais.

Para garantir que os alimentos fornecidos aos animais não estejam contaminados, a UE estabeleceu normas pela Diretiva 2002/32/CE, impondo limites máximos para as substâncias indesejáveis ​​na alimentação animal (tabela 1).

Tabela 1: Limites permitidos pela UE de metais pesados na nutrição animal

MineraisNaMedidaCerta_Alltech_Impurezas_Tab1.png

Um estudo realizado entre os anos de 2009 a 2016, em mais de 29 países da América Latina, América do Norte e Ásia-Pacífico analisou os níveis de metais pesados em diferentes tipos de alimentos para animais (3147 amostras) e identificou que  todas as amostras estavam contaminadas por pelo menos um metal pesado em concentrações superiores aos níveis permitidos pela União Europeia (tabela 2).

MineraisNaMedidaCerta_Alltech_Impurezas_Tab2.png

O estudo mostrou ainda que ao menos uma amostra em todos os países estava contaminada por pelo menos um metal pesado com concentração acima do permitido pela União Europeia (gráfico 1)

MineraisNaMedidaCerta_Alltech_Impurezas_Grafico1.png

Sistemas de garantia de qualidade

Fontes minerais inorgânicas são usadas para fabricar minerais orgânicos. Como vimos anteriormente, os riscos de contaminação associados a minerais inorgânicos são motivo de preocupação para os fabricantes de suplementos minerais. Ao escolher um mineral inorgânico ou orgânico, uma atenção especial deve ser dada aos sistemas de garantia de qualidade implementados pela indústria. Algumas questões são importantes: o fabricante usa apenas fornecedores aprovados, ou seja, sem matéria-prima contaminada por metais pesados? O fabricante realiza auditoria de seus fornecedores?

A rastreabilidade das matérias-primas para fabricação do produto final é uma obrigação de todos os fabricantes de aditivos para a nutrição animal. Certificações de empresas respeitáveis, por exemplo, demonstram o compromisso de um fabricante com a qualidade e segurança do alimento.

A Alltech possui um programa de controle de qualidade dos minerais orgânicos, o Alltech Q+. O sistema foi projetado para garantir que todos os produtos que a Alltech oferece sejam seguros, eficazes e nutritivos. O Alltech Q+ atende ou excede os requisitos de todas as principais certificações globais de segurança e é implementado em todas as instalações de produção da empresa, garantindo que as matérias-primas sejam obtidas apenas de fornecedores aprovados e que todas sejam testadas para verificar a existência de PCBs, dioxinas e metais pesados. Ao final do processo de produção, o mineral orgânico produzido pela Alltech é reavaliado antes da entrega. Não há outra maneira de garantir qualidade, segurança, rastreabilidade e consistência a todos os clientes em todos os lugares.

A Alltech mantém seu compromisso de sempre oferecer produtos de alta qualidade aos seus clientes, que gerem benefícios aos animais, ao meio ambiente e aos consumidores.


Quer saber mais sobre o programa de Gestão de Minerais da Alltech? Entre em contato conosco: